1320Hub / informa / Transição para a sustentabilidade: como ser realista e eficiente em 6 passos

Transição para a sustentabilidade: como ser realista e eficiente em 6 passos

É possível aderir à sustentabilidade ambiental no dia a dia? Como acompanhar o desenvolvimento sustentável a partir da nossa rotina? Com tantas novidades sobre um novo estilo de vida – ou que nos parece novo – é natural que a gente entre no modo “em pânico”. Respira fundo porque vou sugerir 6 passos de como fazer a transição realista para uma vida com mais sustentabilidade, sem grandes mudanças mirabolantes e respeitando o seu tempo. E, para fechar, uma dica para você continuar inspirad@ durante o processo.

 

A sustentabilidade ambiental está ON

De uns anos pra cá, a sustentabilidade ambiental passou a ser protagonista de vários debates: nas mídias, no mercado financeiro e até nas últimas eleições presidenciais tivemos o meio ambiente como pauta. Conversamos sobre as queimadas nos biomas brasileiros no jantar com a família, sobre o uso de plásticos descartáveis no happy hour, repensamos nosso consumo e alimentação de um modo geral. E isso tudo não é só muito positivo, como necessário. Sabemos que estamos enfrentando desafios relevantes quando pensamos no desenvolvimento sustentável, na crise climática, na preservação da fauna e da flora, no consumo de água e na relação com a nossa natureza. Basta assistir aos noticiários. 

E quando observamos o universo de pequenos hábitos que podemos priorizar na nossa rotina para nos alinharmos a um estilo de vida mais coerente com a sustentabilidade, é comum pensarmos sobre a incapacidade de tornar isso realidade. Por isso, vou contar 6 passos para que essa transição seja mais realista, leve, divertida e eficaz. 

 

#1 Respeitar o tempo

O primeiro passo é bobo, mas muito real: respeite-se. Eu sei bem como é absorver informações sobre a sustentabilidade e observar a própria vida e rotina: é um clássico kkkryng. A gente lê sobre todos os venenos que existem nos produtos de limpeza, abre a despensa e vê nosso armário recheado deles. Dá um frio na espinha. Aprendemos sobre os malefícios dos absorventes descartáveis, abrimos nossa gaveta do banheiro… e lá estão eles. Aos montes! Um calafrio.

Quando conhecemos algumas realidades dos produtos que consumimos, é natural que entremos em choque: a vontade que dá é jogar tudo fora e recomeçar do zero. Mas é uma atitude impulsiva e não sustentável: não existe fora. Fora da onde? Você só vai acumular inúmeras embalagens plásticas com pouquíssima chance de reciclagem e ainda investir toda sua energia em começar tudo de novo. Respira! 

Não tem porque abandonarmos tudo o que temos em casa da noite para o dia. Possivelmente vai ser doloroso e efêmero. A transição tem seu tempo e nós precisamos respeitar esse processo. 

Está tudo bem se você ainda tem vários produtos que deixaram de fazer sentido depois que você conheceu a realidade não sustentável de todos eles. Você tem várias alternativas, como a doação ou simplesmente usá-los até o final e, aí sim, exercer o consumo consciente em uma próxima compra. Também pode substituir aos poucos e introduzir produtos sustentáveis na sua rotina, intercalando com os convencionais. Seja como for, respeitar o seu tempo é um passo fundamental para que a transição seja leve, eficaz e duradoura.

 

#2 Somos diferentes

Por mais que seja importante compartilharmos nossas experiências, dicas e o que estamos aprendendo sobre sustentabilidade, é bacana lembrar que somos todas diferentes. Isso significa que cada rotina é de um jeito, que cada realidade funciona de uma forma e cada corpo reage no seu tempo. É incrível conhecer receitas de desodorantes naturais ou marcas que se comprometem a entregar os melhores produtos, mas a verdade é que só você conhece a si mesmo. E você pode se adaptar a hábitos que outras pessoas não se adaptam e vice-versa. Por isso, honre o fato de que você é única e experimente tudo que puder até entender o que faz sentido pra você.

Esse também é um passo que te lembra: não se violente. Se determinado produto não está sendo bacana, procure outra alternativa. Dê um tempo, respeite seu espaço e suas diferenças. Existe um mundo de possibilidades capazes de apoiar voocê em todos os pequenos hábitos para essa transição.

 

#3 Entenda o que é mais fácil primeiro

Foque no que é mais viável para sua realidade atual. Se trocar os produtos de limpeza é fácil para sua rotina, manda ver. Se substituir a maquiagem por uma natural ainda é desafiador, tá tudo bem. Cada passo é importante e um passo de cada vez é sucesso garantido. 

Quando começamos pelo que nos parece mais simples, é natural que tenhamos mais energia para seguir em frente. Olhe a sua volta e veja o que é possível fazer agora. Converse com a sua família para entender o que eles podem fazer para que você não se sinta sobrecarregada. Entenda quais empresas podem apoiar você nesse movimento. O importante é começar e começar pelo que funciona agora.

 

#4 Busque grupos de apoio e redes poderosas

E se a gente usar a rede social a nosso favor? Busque perfis inspiradores para seguir, com receitas, dicas e boa energia para ajudar você nessa transição. Use esses espaços para trocar experiências e conhecer novas alternativas aos desafios que você pode enfrentar no trajeto. Encontre empresas que tenham conteúdos bacanas para oferecer neste momento e interaja com elas: faça perguntas, compartilhe seu processo e coloque em prática a nossa incrível habilidade de estar em comunidade. 

Deixo aqui minha indicação de alguns perfis muito bacanas, como o @umavidasemlixo, da Cristal Muniz, o @verdesmaria, de três irmãs maravilhosas e o @casasemlixo da família linda da Nicole. Também recomendo a playlist de “Dicas Práticas” do youtube do Menos 1 Lixo. 

Entre os seus, converse com suas amigas e identifique quem também curte trocar sobre sustentabilidade. Muitas vezes tem gente muito potente por perto, que também investe energia em pesquisar e aplicar a autorresponsabilidade no dia a dia. 

 

#5 Informe-se: entenda o porquê da sua decisão

A transição pede que você busque informações sobre a sustentabilidade de forma contínua. A boa notícia é que cada vez mais as empresas e os governos estão focados em olhar para o meio ambiente como parte dos processos e não como recurso. Por isso, não vão faltar oportunidades para você se informar cada dia mais sobre como nossos hábitos impactam diretamente na sociedade que queremos construir hoje e em um futuro próximo.

A informação é a base para que você siga caminhando, já que que respalda a transição como um todo e serve como um lembrete de que alguns desafios têm motivos muito nobres. 

 

#6 Ligue para os seus avós

Você não leu errado: ligue para os seus avós ou para pessoas que você confia e que viveram em mundo muito mais simples do que o de hoje. Como as nossas avós faziam compras, sem sacolas plásticas? Como os nossos avôs se barbeavam sem aparelho de barbear descartável? Muitas vezes buscamos as respostas em novos produtos e tecnologias, mas a verdade é que o mundo era sustentável até pouco tempo atrás. 

Honre a ancestralidade e a sabedoria. Aproveite e já dê aquele afago gostoso!

 

Dica para o processo

Para que o processo de transição fique leve e divertido, vou dar uma dica que funcionou bastante pra mim: fazer uma lista. Em um caderno que você adora, separe um cantinho para registrar todos os seus novos hábitos e a data de início de cada um deles. Com o tempo, você vai ser capaz de metrificar o seu impacto e reconhecer como a sua escolha foi positiva para a sua vida, para as pessoas que acompanham você e, claro,  para o planeta. É também um bom recurso para todas as situações de desânimo que podem surgir, como a sensação de que os pequenos hábitos não fazem diferença no mundo. Essa lista vai ajudar você a seguir adiante!

Siba tem um verso que me move muito: “Toda vez que eu dou um passo o mundo sai do lugar”. Basta escolhermos para onde estamos caminhando: vamos continuar nesse modelo vigente de sociedade em que a extração-produção-consumo-descarte ou vamos repensar nossos modelos de consumo? Consumir de forma consciente e ter um estilo de vida sustentável é procurar as melhores alternativas para preservar a natureza. Afinal, somos natureza e não haverá rotina sem ela. O importante é começar e permitir que o mundo saia do lugar. Vamos juntas?

 

: Nina Marcucci é comunicadora, facilitadora e tradutora de narrativas. Já liderou a produção de conteúdo do Menos 1 Lixo. Criadora do curso Sustentabilidade em Casa.

Compartilhe

13:20:NEWS
NO SEU E-MAIL

Entre em contato com o 13:20:HUB

Inscreva-se e receba novidades!